Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 
You Tube
Influências da Cultura Afro no Brasil
Foto:imagem de internet

Influências da Cultura Afro no Brasil

M√ļsica

 

A principal influ√™ncia da m√ļsica africana no Brasil √©, sem d√ļvidas, o samba. O estilo hoje √© o cart√£o-postal musical do Pa√≠s e est√° envolvido na maioria das a√ß√Ķes culturais da atualidade. Gerou tamb√©m diversos sub-g√™neros e dita o ritmo da maior festa popular brasileira, o Carnaval.

 

Mas os tambores de √Āfrica trouxeram tamb√©m outros cantos e dan√ßas. Al√©m do samba, a influ√™ncia negra na cultura musical brasileira vai do Maracatu √† Congada, Cavalhada e Mo√ßambique. Sons e ritmos que percorrem e conquistam o Brasil de ponta a ponta.

 

Capoeira

Inicialmente desenvolvida para ser uma defesa, a capoeira era ensinada aos negros cativos por escravos que eram capturados e voltavam aos engenhos.

Os movimentos de luta foram adaptados às cantorias africanas e ficaram mais parecidos com uma dança, permitindo assim que treinassem nos engenhos sem levantar suspeitas dos capatazes.

Durante d√©cadas, a capoeira foi proibida no Brasil. A libera√ß√£o da pr√°tica aconteceu apenas na d√©cada de 1930, quando uma varia√ß√£o (mais para o esporte do que manifesta√ß√£o cultural) foi apresentada ao ent√£o presidente Get√ļlio Vargas, em 1953, pelo Mestre Bimba. O presidente adorou e a chamou de "√ļnico esporte verdadeiramente nacional".

A Capoeira √© hoje Patrim√īnio Cultural Brasileiro e recebeu, em novembro de 2014,¬†o t√≠tulo de Patrim√īnio Cultural Imaterial da Humanidade.

 

Religi√£o

A √Āfrica √© o continente com mais religi√Ķes diferentes de todo o mundo. Ainda hoje s√£o descobertos novos cultos e rituais sendo praticados pelas tribos mais afastadas.

Na √©poca da escravid√£o, os negros trazidos da √Āfrica eram batizados e obrigados a seguir o Catolicismo. Por√©m, a convers√£o n√£o tinha efeito pr√°tico e as religi√Ķes de origem africana continuaram a ser praticadas secretamente em espa√ßos afastados nas florestas e quilombos.

Na √Āfrica, o culto tinha um car√°ter familiar e era exclusivo de uma linhagem, cl√£ ou grupo de sacerdotes. Com a vinda ao Brasil e a separa√ß√£o das fam√≠lias, na√ß√Ķes e etnias, essa estrutura se fragmentou. Mas os negros criaram uma unidade e partilharam cultos e conhecimentos diferentes em rela√ß√£o aos segredos rituais de sua religi√£o e cultura.

As religi√Ķes afro-brasileiras constituem um fen√īmeno relativamente recente na hist√≥ria religiosa do Brasil. O Candombl√©, a mais tradicional e africana dessas religi√Ķes, se originou no Nordeste. Nasceu na Bahia e tem sido sin√īnimo de tradi√ß√Ķes religiosas afro-brasileiras em geral. Com ra√≠zes africanas, a Umbanda tamb√©m se popularizou entre os brasileiros. Agrupando pr√°ticas de v√°rios credos, entre eles o catolicismo, a Umbanda originaram-se no Rio de Janeiro, no in√≠cio do s√©culo 20.

Culin√°ria

Outra grande contribuição da cultura africana se mostra à mesa. Pratos como o vatapá, acarajé, caruru, mungunzá, sarapatel, baba de moça, cocada, bala de coco e muitos outros exemplos são iguarias da cozinha brasileira e admirados em todo o mundo.

Mas nenhuma receita se iguala em popularidade à feijoada. Originada das senzalas, era feita das sobras de carnes que os senhores de engenhos não comiam. Enquanto as partes mais nobres iam para a mesa dos seus donos, aos escravos restavam as orelhas, pés e outras partes dos porcos, que misturadas com feijão preto e cozidas em um grande caldeirão, deram origem a um dos pratos mais saborosos e degustados da culinária nacional. 

 

Fonte: Portal Brasil

 

Data: 19-11-2021 09:42:34